quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Batatas



Hoje recordei os tempos em que as minhas férias de verão eram assim:


Certa que ter um emprego, tratar de uma casa e duas filhas não é tarefa fácil continuo a achar que um dia inteiro (muitas vezes trabalhávamos mais de 10 horas) a colher batata era bem pior. Assim que chegava a casa tomava banho e lembro-me de quase adormecer no duche. O jantar já mal era saboreado. Chegava à cama e aterrava...
Havia dias que dormia 2h e depois ia ter com os amigos ajudar na preparação da festa da terra...hoje não conseguiria...tudo era mais fácil com 15 anos...ou não... às vezes entendo porque tinha mais genica antes...tinha mesmo que a ter... E quando acabava a colheita da batata havia tréguas (leia-se praia) e a seguir vinha a colheita do tomate, a meio de agosto a pêra e depois a uva... 
A Mar foi colher algumas batatas, mas poucas. Depois foi ver os peixinhos, no poço, da tia bisavó. A seguir fomos fazer o almoço.



4 comentários:

  1. Sua vida está carregadinha de ensinamentos...
    Você é uma vitoriosa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dou muito valor a quem trabalha arduamente quer faça um calor abrasador quer chova a potes. Custa muito e eu sei disso.
      Viver para aprender

      Eliminar
  2. Este ano não fui (um pós parto não se adequa a trabalhos agrícolas) mas todos os anos vou sempre ajudar os meus avós na apanha da batata. Vou eu e alguns familiares. Não digo que goste muito de acordar às 5h da manhã e ir para o campo mas compreendo que nestas coisas da agricultura familiar, quando todos dão uma ajudinha, fica tudo mais fácil.

    ResponderEliminar
  3. Éverdade sim, com ajuda tudo é mais fácil.
    Boa recuperação pós parto.

    ResponderEliminar

Aqui pode comentar o que leu.
Obrigada e Felicidades!